| Leia o tempo: 2 atas | Perdas do investidor | Notícias e artigos |

Revisão diária de negócios

Segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

SENTENÇA ARBITRAL CONTRA A FARGO DOS POÇOS RECUPERA A MAIOR PARTE DAS PERDAS DA FAMÍLIA

A mediação e a arbitragem devem ser mais rápidas e mais econômicas do que ir a tribunal. No entanto, não foi nem num caso envolvendo o roubo de milhões de dólares da College Health and Investment L.P., uma sociedade anônima de gestão familiar.

O caso levou mais de três anos para ser resolvido como advogados da Wachovia Securities, agora parte da Wells Fargo, utilizou inúmeras táticas dilatórias antes de finalmente pagar uma sentença arbitral de US$ 2,75 milhões, disse o advogado da Boca Raton Securities, Robert W. Pearce, que representou a College Health.

O caso surgiu da falha da Wells Fargo em detectar o suposto roubo e transações não autorizadas de milhões de dólares por Esther Spero, cuja tia, Shari Jakobowitz, estava encarregada das contas da parceria.

Spero foi acusada de usar indevidamente as informações financeiras da família para roubar cerca de US$ 7 milhões, que ela por sua vez perdeu para o desenvolvedor Michael Stern, que deveria estar investindo no setor imobiliário. Em vez disso, Stern supostamente usou o dinheiro para pagar suas próprias dívidas após o crash imobiliário, enquanto financiava um estilo de vida pródigo.

Pearce rastreou a maior parte do dinheiro e fez recuperações no tribunal estadual contra a Stern, uma empresa de títulos, Spero e Wachovia.

"Eles ficaram um pouco curtos, mas estivemos perto de recuperar a maior parte do dinheiro deles", disse Pearce.

Então, em julho, um painel de arbitragem da Autoridade Reguladora da Indústria Financeira ordenou à Wells Fargo que pagasse US$ 2,75 milhões em danos e juros por não ter detectado o suposto desvio de fundos do Spero.

Os supostos funcionários do banco Pearce chegaram ao ponto de criar uma falsa procuração para dar ao Spero o controle da conta que detinha a maior parte dos ativos.

Se o banco tivesse aplicado suas próprias políticas e procedimentos, bem como as regras da FINRA, teria detectado o desfalque, argumentou Pearce.

"O banco tinha numerosas bandeiras vermelhas. Ele deveria ter feito investigações para parar a movimentação de fundos", disse Pearce.

Foto do autor

Robert Wayne Pearce

Robert Wayne Pearce, do The Law Offices of Robert Wayne Pearce, P.A. é advogado de julgamento há mais de 40 anos e ajudou a recuperar mais de US$ 160 milhões de dólares para seus clientes. Durante esse tempo, ele desenvolveu uma respeitada e altamente realizada carreira jurídica representando investidores e corretores em disputas uns com os outros e com o governo e reguladores da indústria. Para falar com o advogado Pearce, ligue para (800) 732-2889 ou Contate-nos online para uma CONSULTA INICIAL GRATUITA com o advogado Pearce sobre seu caso.

Avalie este posto

1 estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
Carregando...